A Cantora Careca – 25 Maio,

Cantora careca_cartaz

 

Olá Amigos,

Estão todos convidados para assistir peça de teatro A Cantora Careca, que estreia a 25 de Maio, às 21h30 no CCGS – Benedita. Esta peça estará em cena nos Sábados 1, 8 e 22 de Junho, sempre às 21h30.

Atrevemo-nos a afirmar que Eugène Ionesco é o mestre do teatro do absurdo e “A Cantora Careca”, escrita em 1948, a sua obra prima.

A obra procura ilustrar o absurdo da existência humana de forma cómica, assim como o distanciamento e a frieza na comunicação entre as pessoas, observado no diálogo sem sentido entre as personagens. Para lá de ridicularizar as situações mais banais, a peça de Ionesco retrata de uma forma tangível a solidão do ser humano e a insignificância da sua existência. A história passa-se no interior da Inglaterra e mostra o quotidiano de dois casais, os Smith e os Martim, e da empregada Mary. Entre conversas banais e com pouco sentido até palavras desarticuladas que se limitam a sons e um crescente clima de violência, a peça vai-se desenvolvendo.

A comicidade, baseada mais no absurdo do que no significado, é uma constante do teatro de Ionesco. Com A Cantora Careca, em cuja cena memorável dois estranhos dialogam sobre banalidades como o tempo, o lugar onde vivem, quantos filhos têm para, surpreendentemente, descobrirem que são marido e mulher, Ionesco inspirou uma revolução importante nas técnicas dramáticas e consagrou o “teatro do absurdo” ou o “anti-teatro”. Esse teatro era realmente um teatro despojado de convenções, cruelmente poético, arbitrário e imaginativo. Ionesco, influenciado por Kafka e Jarry, caricaturou o real e o “absurdo” juntos, exteriorizou fantasias secretas, geralmente obtendo uma relevância social profunda.

Autor: Eugéne Ionesco

Encenação: José Carlos Saramago

Cenografia: Flávia Grilo

Luzes e Som: Baltazar Silva

Elenco: Graciett Lopes, Leonor Lemos, Paulo Valentim, Rita Radamanto, Sofia Serrazina, Válter Boita